»»
Home > Roteiros

Roteiro – Serra da Boa Viagem

A Serra da Boa Viagem era território inexplorado para a BIKE Magazine, mas já tínhamos ouvido dizer que por lá havia muitos e bons trilhos. Com a visita ao Bike Suite & Lounge tivemos uma boa oportunidade para explorar a zona da Figueira da Foz e descobrir subidas e descidas épicas, em ambientes muito variados e com excelentes vistas para a orla marítima. 8338

Roteiro – Inatel Piódão

Não há assim tantos locais em Portugal onde se possa pedalar a mais de 1300 m de altitude. A Serra do Açor oferece grandes desníveis para quem quer treinar e belas paisagens para quem deseja desfrutar do BTT em pleno.   Texto: Pedro Pires Fotografia: Luís Duarte   Depois de mais de três horas de carro, eis que um aglomerado de casas no fundo de um vale nos chama a atenção. O Piódão não é apelidado de “aldeia presépio” por acaso. As casas de xisto perfeitamente restauradas e com os caixilhos das janelas azuis só encontram contraste na pequena igreja branca, que mais parece um bolo de noiva. À noite, luzes amarelas pontilham todas as casas, conferindo ao povoado um aspeto ainda mais natalício. Quase a chegar à aldeia, que fica a 683 m de altitude, o hotel do Inatel impõe-se sem destoar, com a arquitetura austera a seguir a traça tradicional da região. É o ponto de partida para o ataque às serranias em redor, e como à hora da nossa chegada ainda nos restavam bastantes horas de luz, comemos a carne à portuguesa que nos foi servida sem demora e partimos à descoberta do percurso referido no site bikotels.com como “difícil”. Depois de

Roteiro: Quinta do Barranco da Estrada – Barragem de Santa Clara

  Dois em um   Este mês regressámos ao Sul, para explorarmos dois sítios próximos mas muito distintos: a Barragem de Santa Clara e a Serra de Monchique. Pelo meio, ficámos alojados num espaço com um encanto especial e uma localização privilegiada… 3300

Roteiro – Quinta da Eira Velha

  Com o Zêzere no horizonte 370 km desde a Serra da Estrela até Constância, percorrendo as margens do rio Zêzere da nascente até à foz, é isto que a GRZ te propõe. E se quiseres um merecido repouso para o grande final deste épico, a Quinta da Eira Velha é o alojamento ideal. Texto: Pedro Pires Fotografia: Rui Botas Sem grandes demoras fizemo-nos ao caminho para aproveitar para pedalar antes do almoço, deixando a merecida visita à Quinta de Eira Velha para mais tarde. Afinal não queríamos encher o bandulho com o almoço, para evitar comprometer os nossos deveres betetísticos. Depois de comprarmos pilhas para o GPS, apercebemo-nos de que este dispositivo não é essencial para cumprir as etapas da Grande Rota do Zêzere. Todas as intersecções estão bem marcadas e pode partir-se à aventura sem depender dos satélites. Atentos a pedras, postes e árvores, fomos seguindo os traços vermelhos e brancos que nos levavam a Constância, por entre vistas para o Zêzere sempre que as subidas de tirar o fôlego o permitiam. A certa altura da rota deparámo-nos com uma indicação que desaconselhava a passagem em bicicleta, mas fizemo-nos ao caminho e enfrentámos a subida sem grandes problemas. Até Constância foram quase 20 km de um duro

Roteiro – Hotel Cooking and Nature

“Pedras no caminho? Guardo todas…” O Hotel Cooking and Nature situa-se no epicentro de uma rede de trilhos que dá acesso a paisagens únicas e é uma base privilegiada para umas férias em que o repouso da cabeça é feito através do castigo das pernas, mas sem se negligenciarem as atividades do agrado de quem não pedala. 5305

TOPO