Roteiro – Serra da Boa Viagem

A Serra da Boa Viagem era território inexplorado para a BIKE Magazine, mas já tínhamos ouvido dizer que por lá havia muitos e bons trilhos. Com a visita ao Bike Suite & Lounge tivemos uma boa oportunidade para explorar a zona da Figueira da Foz e descobrir subidas e descidas épicas, em ambientes muito variados e com excelentes vistas para a orla marítima.

Texto: Pedro Pires

Fotografia: João Carlos Oliveira

Quando chegámos à Figueira da Foz, já tínhamos à nossa espera o Daniel Maia, um dos principais dinamizadores na marcação de percursos naquela zona, por isso estávamos em boas mãos para conhecer os melhores trilhos da zona.
O sol brilhava e não tardou muito a atravessar a cidade para começar a apontar em direção à serra por estradões de terra batida e gravilha. Vencidos um par de centenas de metros de altitude (a Serra vai até aos 259m), começava a entrar-se em fluidos singletracks, uns entre acácias cerradas que logo se abriam espaço para dar lugar a bonitas matas de pinheiro, outros à beira de arribas com vistas para o oceano. Nesta primeira fase, explorámos caminhos mais acessíveis, sem grandes inclinações ou dificuldades técnicas, mas muito interessantes mesmo para betetistas mais experientes.
Pouco depois, eis nos chegados ao miradouro a que se dá o nome de “Bandeira”. As ondas do Atlântico  e uma interminável mata de pinheiros eram o pano de fundo para o início da primeira descida à séria do dia. Mas só mesmo o início, porque rapidamente entrávamos num estradão antigo com todo calcário exposto para nos abanar os ossos. Seguiu-se depois uma descida apelidada de Fun Track, repleta de curvas e saltos e que me deixou com um sorriso de orelha a orelha.

Como não tínhamos todo o tempo do mundo, o Daniel optou por levar-me a subir um caminho que normalmente se faz aproveitando as benesses da gravidade.

Foi uma maneira de ver o trilho que chamam de “Robalo” com mais atenção e fiquei com vontade de regressar para ir por ali abaixo como manda a lei. Num luxuriante bosque, pedras e raízes quebravam a monotonia e apimentavam tecnicamente aquele bonito caminho.
Fomos depois subindo um estradão, e à medida que progredíamos, o Daniel ia explicando: dali sai um trilho, ali entra outro, há outro que passa ali, um que sobe ali naquelas árvores… escolha não falta na Serra da Boa Viagem!

Pouco depois estávamos de volta à Bandeira para mais uma descida épica. A seguir a uma sessão fotográfica muito produtiva, graças ao enquadramento proporcionado pelo mar, pinhal e areal, todos a perder de vista, encetámos uma descida bastante técnica em direção à costa. O início fazia lembrar a Serra de Aire, com as rochas calcárias a furar por entre terra vermelha. Depois de algumas curvas espetaculares entrava-se no bosque para mais curvas contracurvas e pequenos saltos e drops, num autêntico festival de BTT. Para poupar tempo não fizemos os últimos metros até à praia, mas não é difícil imaginar o prazer de chegar lá abaixo e beber umas imperiais junto ao areal.


Mas havia que trabalhar, o que nestas condições não era nada complicado. Os derradeiros afloramentos rochosos do Cabo Mondego oferecem um cenário impecável para fotografias e não foi preciso muito tempo até ficarem captadas espetaculares imagens.
Houve ainda tempo para mais uma subida e desta vez optámos pela estrada para poupar tempo, se bem que havia várias opções, que dependem apenas da vontade e energia de quem pedala.

A última descida do dia consistiu num divertido e rápido estradão repleto de valas, pedras e ressaltos, onde o Daniel mostrou todo o seu conhecimento do terreno, mantendo-se de roda no ar uma boa parte do caminho.

Da serra ao mar é um instantinho e a recém-construída ciclovia pelo meio do areal fechou com chave de ouro aquele dia repleto de BTT ao mais alto nível. Ficou muito por ver, mas também muita coisa ficou vista!
A umas escassas centenas de metros, esperava-nos o Bike Suite & Lounge. As opções deste alojamento são muitas, desde as mais económicas camaratas do Meeting Hostel a confortáveis apartamentos equipados com tudo o que é preciso para se passar umas férias em grande. Nota-se o compromisso deste alojamento com o BTT, não estivesse a família proprietária ligada ao ciclismo há vários anos, e a decoração não o deixa esconder. Há bicicletas por todos os lados e até te podes sentar num selim no restaurante Yé-Yé, inspirado na lendária marca de pasteleiras.

Com a proximidade da serra, do mar e do rio Mondego, há também uma grande variedade de atividades ao teu dispor a um passo da Figueira da Foz: BTT, Surf, passeios de caiaque, parapente ou apenas aquele que é o passatempo favorito de muitos portugueses e que vais apreciar depois de levares uma boa coça nestes trilhos: apanhar banhos de sol…

Bike Suite&Lounge

Este alojamento pertence a uma família ligada às bicicletas e a decoração reflete esta paixão: em todas as divisões encontras penduradas nas paredes bicicletas clássicas, rodas e outros elementos decorativos velocipédicos. Os quartos, apartamentos e suites oferecem conforto a quem quer descobrir a Figueira da Foz e a Serra da Boa Viagem e são um campo base privilegiado, já que podes terminar as tuas voltas mesmo na cidade e aproveitar a praia mesmo ali ao lado. O restaurante Yé-Yé oferece comida vegetariana para que possas retemperar as forças com os ingredientes mais saudáveis e para quem viaje sozinho ou queira conhecer pessoas novas, o Meeting Hostel disponibiliza camaratas mesmo na porta em frente.

Preços: a partir de 35 euros

Site: bike-suite-amp-lounge-pt.book.direct

E-mail: bikesuitelounge@gmail.com

Localização: 40.1507538,-8.8621138,15

Contacto: 919200705 / 963003162

Bicicleta recomendada: uma bicicleta de XC pode chegar, mas há percursos que se tornam mais interessantes com bicicleta de Enduro

Época: Todo o ano

Onde comer: restaurante Yé-Yé

Site recomendado: www.centerofportugal.com