Campeonato da Europa de Pista Sub-23 e Juniores

A Equipa Portugal fechou hontem a participação no Campeonato da Europa de Pista, em Sangalhos, Anadia, com o 11.º lugar de Rui Oliveira e Miguel do Rego na corrida de madison para sub-23. Os portugueses fazem um balanço positivo de uma participação que resultou na conquista de três medalhas.

 

A prova de madison, mais recente disciplina de pista adicionada ao programa olímpico de ciclismo, disputou-se com um ritmo frenético, ao longo das 160 voltas, correspondentes a 40 quilómetros. O ritmo alucinante apenas consentiu que uma equipa conquistasse uma volta de vantagem sobre o pelotão. Foi a Bélgica, com Robbe Ghys e Lindsay de Vylder, a alcançar esse feito, permitindo-lhe somar os pontos suficientes, 51, para arrecadar a medalha de ouro.

 

O equilíbrio ficou patente na restante composição do pódio: segundo lugar para os russos Maksim Piskunov e Sergei Rotovtsev e terceiro para os ucranianos Roman Gladysh e Bitaly Hryniv, duas duplas que somaram 31 pontos.

 

Miguel do Rego e Rui Oliveira pontuaram num dos sprints intermédios, alcançando dois pontos, o que lhes valeu o 11.º lugar entre os 14 países participantes. “Foi a primeira vez que o Rui e o Miguel fizeram dupla a um nível tão elevado. O Rui já tem alguma experiência, mas o Miguel vem de júnior, está no primeiro ano de sub-23. Perante estas condições, cumpriram a meta que passava por ficar perto do top 10, numa prestação que considero boa”, diz o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

 

O responsável pela Equipa Portugal de pista faz um balanço global positivo de toda a participação lusa no Campeonato da Europa de Sub-23 e Juniores. “O Campeonato correu muito bem para nós. Foram alcançados os objetivos e a conquista de três medalhas é um desempenho de excelência, tendo em conta todo o processo evolutivo verificado e que deixa claro que a melhoria é notória e consistente de ano para ano”, explica o selecionador, satisfeito com o título europeu de Rui Oliveira em eliminação para sub-23 e com as medalhas de prata do gémeo, Ivo Oliveira, em perseguição individual, e da júnior Maria Martins em eliminação.

 

Gabriel Mendes faz questão de deixar uma palavra final para os onze corredores que vestiram as cores nacionais neste Europeu. “Estou orgulhoso do trabalho desenvolvido pelos atletas, cujo empenhamento foi inexcedível”, classifica.

 

Além da corrida de sub-23 masculinos, o Velódromo Nacional pôde também vibrar com a prova de madison para sub-23 femininas, embora sem presença lusa. As britânicas Eleanor Dickinson e Manon Lloyd foram as mais fortes, diante das russas Diana Klimova e Maria Petukhova, segundas classificadas, e das italianas Elisa Balsamo e Rachele Barbieri, terceiras.

 

Os juniores também tiveram ontem as finais de madison. A Bélgica venceu no setor masculino, fruto de uma corrida em que a dupla formada por Fabio van den Bossche e Nicolas Wernimont foi a única a conquistar uma volta de avanço sobre o pelotão principal. Os checos Daniel Babor e Daniel Rybin ficaram com a medalha de prata, deixando o bronze para os britânicos Rhys Britton e Jake Stewart.

 

A Itália ganhou a corrida feminina de madison com uma superioridade tão evidente que nem uma queda tirou a medalha de ouro a Letizia Paternoster e a Chiara Consonni. As russas Daria Malkova e Maria Novolodskaya foram quem deu mais luta. No terceiro posto colocaram-se as britânicas Jenny Holl e Pfeiffer Georgi.

 

A Holanda dominou as corridas de keirin na categoria de sub-23. Harrie Lavreysen foi o mais forte no setor masculino, conquistando a medalha de ouro diante do checo Jiri Fanta, segundo classificado, e do britânico Jack Carlin, terceiro.

 

Hetty van de Wouw sagrou-se campeã europeia de keirin, numa disputa acesa com a russa Tatiana Kiseleva, segunda, e com a francesa Melissandre Pain, que ficou no patamar mais baixo do pódio.